quinta-feira, 21 de junho de 2012

Vida (Parte 1)


Durante muitos anos passei por momentos de solidão.

A minha certeza me faltava, a minha segurança me deixou e a minha coragem falhava sempre que puxava por ela.
Mesmo acompanhado, não me sentia forte ou amado, mas também não amei. Não me dei a ninguém por completo.

Procurei de alguma maneira me agarrar ao que tinha.
O que eu tinha não era nada para além do meu corpo. Pois a minha alma se encontrava perdida num universo onde a minha entrada não era permitida.

Já me faltavam as máscaras e cada vez viam mais a minha confusão, a minha tristeza e o meu desalento.
Talvez até tenha lutado. Talvez fui desistindo aos poucos e me encontrei em situações de dúvida.

Confiança e expressão se apagaram aos poucos e me deram vontade de gritar, mas a minha voz já não era ouvida, portanto nem tentei.
Me entreguei a vícios e esquemas psicológicos que só me faziam pior.
Tinha forças mas não tinha força de vontade, convicção ou motivação para mudar.

Deixei que guiassem. Não sabia o que fazer.
Os meus sonhos fragmentaram-se e os meus desejos evaporaram.

A minha mente hibernou e ali permaneceu, eternamente...