sábado, 14 de abril de 2012

I Smile


Disse à felicidade onde estava para que ela me pudesse encontrar. Mas tive que ir atrás dela para que os nossos caminhos se cruzassem.
Pus todas as infantilidades de lado, coloquei-me na posição de alguém que sabia o que queria e lutei contra todos os obstáculos.
Por muito tempo duvidei, pedi que me dessem forças, pensei várias vezes em desistir e muitas foram as quedas que tive pelo caminho.

(Todas as quedas que tive me marcaram de alguma forma. Senti-me desmontado, rasgado, arranhado, cansado, dorido e quase sem chances de me levantar.
Aos poucos consegui regenerar. Primeiro deitado, depois sentado para poder me levantar, reaprender a andar, e por fim, correr!
Nesse ponto, corri o mais rápido que pude. Não parei mais. Corri para continuar a minha busca e consegui encontrar.)

Finalmente, encontrei-a. Estava mesmo aqui, dentro de mim, mas eu não a via porque o meu olhar esteve sempre voltado para o exterior.
Nunca parei para pensar que podia ser feliz sem a ajuda de outra pessoa. A única coisa que tinha de fazer era conhecer-me melhor e aceitar todos os aspectos que fazem de mim o indivíduo único que sou.
Para completar, tive o privilégio de conhecer várias pessoas que me proporcionam momentos de diversão, responsabilidade, carinho, compreensão, amor e muito mais. Por tudo isso só tenho que agradecer a cada dia que passa.
Agora posso dizer que sei o que é ser feliz de verdade! =D

domingo, 8 de abril de 2012

?

Eu preciso de tempo. Um tempo para mim. Um tempo sozinho.Um tempo para parar de pensar tanto em ti e pensar mais em mim.
Ou simplesmente parar de pensar e tentar esquecer algumas coisas.


Preciso de descanso, que me deixem respirar.
Tenho de esclarecer as coisas na minha cabeça.

Ouvir o som do silêncio. E sentir a calma que o ruído me traz.
Tentar procurar algo, me afastando do que pretendo encontrar.
Acordar na esperança de dormir para sempre.

Quero fechar os olhos para não ver nada.
Mas abrir a mente para poder ver tudo.
Descobrir a pólvora, mesmo que já tenham apertado o gatilho.

Flutuo na imaginação de um ser adulto enquanto criança.
Sinto a necessidade de estar sozinho e rodeado de pessoas.
Visitar lugares conhecidos para ver coisas novas.
Vejo se mergulho no mar para ficar com as emoções secas.
Olho para o espelho de forma a conectar com alguém que não conheço...

De dia, procuro o que nunca quis encontrar.
De noite, encontro o que nunca procurei.
E, na minha vida, disfarço o que não quero que vejam, mas desejo que procurem, encontrem e ...

me abracem.