sábado, 22 de dezembro de 2012

The End


No livro da minha vida, este capítulo tem como título o teu nome.
Na primeira página da nossa história, as palavras mostravam um futuro brilhante.
Como já era de esperar, no início tudo é perfeito. Depois, tudo se torna tão cruel e assustador.
Até os anjos têm o seu lado menos bom e nós levámos tudo para um patamar bem acima disso...

Eu não soube lidar com a situação, nunca tinha passado por ela. Era entusiasmante!
Tinhas acabado de entrar no jogo, mas entraste muito mal.
A nossa falta de experiência, em dois campos diferentes, nos fez errar, mas aprender.

Hoje, continuas a ser aquele por quem sinto um enorme carinho.
Serei-te eternamente grato pelo tempo que passámos juntos, pela felicidade que me deste.
É incrível como todas as discussões ainda me faziam amar-te e desejar-te cada vez mais.
Mas naquele dia havia um rancor imensurável na tua voz. Um ódio que ultrapassava os limites.
Pensei que me irias bater ou atirar objetos, mas apenas gritaste tudo que tinhas para gritar.

Fosse qual fosse o jogo tu irias ganhar.
Mas na verdade ninguém ganhou...

Na possibilidade de haver algum futuro entre nós, t
eria de haver sinceridade e tudo teria de ser dito, mesmo correndo o risco de nos perdermos para sempre, mesmo que tenhas perdido a cabeça e me tenha custado tanto ouvir o teu choro...
Não me perguntes o porquê. Não vou saber dar as respostas.
Apenas sei que tento fugir de tudo que me faz bem. Talvez goste de sofrer.
Não te queria perder por nada deste mundo.
E acima de tudo, não quero perder as lembranças...

(Deitámo-nos no meio da destruição e acordámos com os raios de sol na cara. Pedi que me falasses suavemente, no ouvido, como um murmúrio, um segredo. Agarraste-me com força; Olhaste-me nos meus olhos; Os dedos acariciavam o meu rosto e elogiavas a minha beleza. Brincámos pela casa feito duas crianças. Sem ti não sou nada. Estou perdido. Abraça-me! Diz que me amarás para sempre; que me desejas. A vontade de ficar deitado ao teu lado sempre a aumentar, ao ponto de nunca mais me querer levantar. Tenho tanta sorte em te ter. Juntos conquistaremos tudo. Viveremos juntos. O nosso amor será selvagem e por vezes carinhoso. Envelhecer ao teu lado. Ver um filme agarrados. Comer contigo, passear, levar-te a conhecer o mundo e, acima de tudo, dormir.)

Ficarei aqui à espera que coisas boas venham, lembrando as que foram.
O meu maior desejo é que sejas feliz, que tenhas tudo aquilo que sempre quiseste.
Para que um dia te possa ver a sorrir novamente.
E quando nos cruzarmos, contarás as tuas aventuras...

Eu Te Amo!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

"E se tentássemos outra vez?"


Sentia falta ... Na verdade ainda sinto.
Do abraço, do beijo, do amor... Mas parece que este último já não estava entre nós.
Não poderia ficar com quem amo, sentindo falta de uma certa reciprocidade.

O amadurecimento de pessoas que ainda não têm maturidade suficiente para se envolverem numa relação deste teor.

Duas pessoas que se amam tanto e não estão juntas.
A ideia de estar com quem amamos e não ser feliz.
Atitudes que definem a personalidade de alguém.
A falta de mudança, de uma amostra de vontade pura.
Vontades, interesses, dúvidas.
As palavras que queremos ouvir,
Os actos que queremos testemunhar,
O que gostaríamos de ter sentido...

O que houve foi um sentimento de falta. A falta que eu fiz provocou um certo desconforto.
Gostaria imenso que as coisas fossem diferentes, mas é exactamente esse pensamento que nos faz estar acorrentados a um passado que não mudará, por mais que o desejássemos.
Devemos aceitar tudo que passou, agradecer os momentos bons que tivemos, o crescimento espiritual, o cruzar de caminhos, o futuro.
Permitir que sejamos um só, eterna felicidade.

Amanhã posso acordar e discordar por completo.
Mas a paciência é uma virtude.
Se a minha vida acabar daqui a 2 minutos, terei a consciência de que fiz a escolha certa?
Tendo esta sido a mais acertada ou não, teria apenas mais um minuto para decidir e não quero disperdiçá-lo a pensar...
Não estamos juntos.

Finding Myself


Nem sei como estar.
Não sei se rio, se choro...
Se fico feliz ou triste com o que resultou da minha vida.

Tal como lhe disse, neste momento, não há nada que seja exactamente da maneira como eu quero. Queria estar noutro curso, noutra situação amorosa, noutro estado físico, noutro momento, noutro espaço, noutra vida.

Não sei se é possível alguém chegar a um ponto da sua vida em que se vê no local perfeito, a ter a vida perfeita, rodeado pelas pessoas perfeitas, se sentindo perfeitamente feliz. Mas, se isso existir, era algo que gostaria imenso de ter para mim.

Sinto falta de momentos que me deixaram feliz e cada dia que passa tento ter pelo menos um pouco disso ... um pouco de alegria.

Procuro resolver os meus problemas à minha maneira.
Construindo uma pessoa diferente, mas ao mesmo tempo, sem deixar de ser eu mesmo.
Quero atingir algo, viver algo, sonhar, agir, rir, chorar; sabendo exactamente quem sou, o que quero e para onde vou, mesmo que por vezes ande perdido.
Mas porquê não andar perdido?
É uma ótima razão para voltar a me encontrar.

Quero viver uma vida só minha. Constituída apenas por decisões tomadas por mim.
Quero viver uma crise e fazer o possível para dar a volta por cima. Saber que lutei por algo, que sou responsável por tudo na minha vida, incluindo os erros e as suas consequências.

Quero ser eu mesmo. E que ninguém o seja por mim.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O homem da minha vida!

Tu és maravilhoso meu bem!
 
É tão fácil agradecer-te.
Grande parte do que sou hoje é porque estiveste na minha vida todos estes anos.
Mas não deixes que isso te suba à cabeça, pois se soubessemos tudo não precisariamos sair da cama.
 
Quero que consigas te transformar no homem que esperas ser. Tens todas as qualidades que precisas.
Continua a manter-te verdadeiro àquilo que realmente és e verás que tudo será mais fácil e serás a razão do teu próprio sorriso.
Mantém sempre a resposta na ponta da língua, mas permanece humilde.
 
Tens algo em ti, chama-lhe talvez bom senso ou o que preferires, mas é algo que pode fascinar e que resulta em várias situações mundanas.
Trabalha a individualidade e o amor próprio, mas não deixes de procurar pelo outro. Não há um preço a pagar quando te dás, sem pensar em receber. Quando não há mais ningém, ama-te, acima de tudo!

A vida é demasiado curta mas podemos fazer dela melhor do que mediana.
Tira um tempinho do teu dia para te conheceres melhor.
Volta àquele espaço da tua casa que te traz boas lembranças, vai a fotografias da tua infância, concentra-te em músicas que te suscitem paz interior e deixa-te levar pelas emoções.
Procura avaliar o teu estado de alma, toma controle do teu ser e encontrarás as tuas forças e fraquezas. O que tens no teu interior.
 
E lembra-te que me tens a mim.
Sabes que temos sempre muito para conversar, mesmo que por vezes possam não haver palavras, posso dizer que nos entendemos um ao outro.
Eu serei o teu amigo, um outro irmão, um amor que vem e te conforta.
E continuarei a lembrar-te, nem que seja a última coisa que faça, que te amarei para sempre!
É verdade, eu te amo!
 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Verdade


Na minha vida eu já passei por muito ...
Já passei por situações que ninguém sabe sequer, que ninguém sentiu o que eu senti, que ninguém estava como eu estava, que ninguém me mostrou o caminho.
Houve momentos em que pensei em desistir, sair daqui, ir para outro lugar, outro corpo, outra mente, outra situação.
Sempre enfrentei e lutei, mas mesmo não tendo vencido sempre, tive várias vitórias que me trouxeram até aqui e várias derrotas que me fizeram a pessoa que sou hoje.
Já chorei por coisas pequenas, já fiquei indiferente a coisas grandes.
Muitas mudanças me transformaram e foram me ensinando à medida que o tempo passou.

Hoje, tento mais uma vez lutar, alcançar aquilo que eu quero para mim, especialmente hoje, tomo uma decisão que pode, mais uma vez, mudar a minha vida.
Vou continuar a trilhar o meu caminho, sabendo que tenho imensos obstáculos pela frente e que todos eles precisam de uma atenção reforçada, um pensamento positivo e a coragem que me acompanha a algum tempo ...

Um tempo complicado, mas que reservo para mim, para me ir conhecendo e aprimorando.
Sabendo quando dar e receber, correr ou andar, falar ou me calar.
E cada dia aprendo mais comigo, com os outros e com a vida.
Porque por mais maturidade que possa ter, há sempre espaço para uma nova aprendizagem.
Mesmo que duvidem, eu saberei, eu viverei, eu terei certeza daquilo que é verdade.

E assim vou seguindo, com a mente aberta e o coração do tamanho do mundo, porque sei que se houver um amanhã, há mil e uma possibilidade de ser completamente diferente de hoje.

12/12/12

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Obrigado

É uma merda quando uma pessoa pensa que esta tudo ótimo ...
Amigos ... Espetáculo!
Família ... Melhor ainda!
Conheceu alguém interessante ... Perfeito!

Juntou tudo ... Fode a Puta do Caralho da Merda Toda!

Mas a culpa é minha de querer que tudo esteja bem?
De poder falar com a minha família sobre os meus amigos e sobre aquela pessoa.
Poder falar com os meus amigos sobre a minha família e aquela pessoa.
Falar com aquela pessoa sobre os meus amigos e a minha família ...

Erro Atmosférico!
Mas quem é que fica na merda? Não é ninguém se não o próprio ... EU

domingo, 25 de novembro de 2012

My boo

Someday, we'll find ourselves tired or broken.
When that day comes, I want to be by your side. I want to lay down on the cold floor with you.

I want to travel and show you the world or go on a cruise and look at the sea.
I need to hold you tight and make you feel like you're that important to me, because you have to believe me when I say that there's no one else, there's no one like you.
Come what may, I just want you to know that I've tried to stay every single day and make you happy.
Stay close and not let go, I've tried to be the perfect man for you, but I failed.

I hope that you can forgive me one day. I love you!

domingo, 28 de outubro de 2012

"O nivel reduzido do narrador governa tormentosamente o optimismo das ceroulas que habitam as janelas de um pais com brio."

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Eu te quero! Eu te desejo! Eu te amo!


Lembro-me de quando corri para tua casa e, assim que abriste a porta, te agarrei e beijei com um impulso apaixonado. Como se fosse o nosso último momento.
Lembro-me do teu corpo juntinho ao meu, sentindo o teu calor, o teu amor ...
Lembro-me do momento em que seguraste o meu braço e me puxaste para evitar que eu saísse pela porta, pois não querias que a nossa história tivesse um fim.
Lembro-me de quando te vinha trazer o almoço, quando passavas as noites comigo, nesta cama. Aqui, onde me entristeço por pensar que poderíamos ter um futuro feliz. Acordaríamos todos os dias, lado a lado, com beijos de bom dia, abraços, uma refeição na cama, ou sexo.
Ao invés de termos isso, passaremos o resto deste percurso das nossas vidas separados por uma distância tão grande.
Como eu gostava de te ter ao meu lado todos os dias.
Adorava que estivesses aqui agora, nos meus braços, nos meus lençóis, nos meus lábios ...
Como eu gostava que fôssemos felizes juntos. Que nos amássemos mutuamente e nos entregássemos um ao outro, num romance eterno.
Como eu gostava de viver uma história de amor contigo. E um dia, poder olhar para trás e me lembrar de tudo, como se se tratassem das memórias de um tempo em que fui a pessoa mais feliz à face do planeta.

Infelizmente, isso não depende só de mim. 

Eu te amo mais do que possas imaginar!

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

DIFÍCIL

_________
Como explicar um sentimento que me persegue e me confunde a cada dia que passa?
Eu sinto que é errado e tento lutar o máximo que posso contra ele mas, sem que eu esteja à espera, ele volta para infernizar a minha vida e a dos que me rodeiam.
Quais são as oportunidades que eu tenho?  Idealizar-me de que a ameaça é real não resolve.
Como é que não consigo terminar de vez com este sofrimento? Eu já tentei de tudo.
Parece que vai piorando com o passar do tempo e quanto mais eu me foco na ideia de que tem de acabar e que não pode continuar a ser assim, o problema torna-se maior e consequentemente, as quedas aumentam a sua intensidade.

Eu gostava de poder viver completamente feliz. Uma vida sem caminhos tumultuosos que não me levam a lado nenhum. Ou levam mas me impedem de seguir um percurso pacífico e agradável. 
Eu quero uma vida de aconchego, amor, carinho, compreensão, felicidade (...) e tudo aquilo que é sempre dito em pensamento, em conversa, em oração.
Na maior parte do tempo procuro na oração, algo que me ajude a enfrentar e vencer este impasse. Mas por vezes, me encontro tão focado noutros aspectos da minha vida, que até a oração fica por ser dita e ouvida.

Procuro, então, correr atrás dos meus desejos, dos meus sonhos e ideais. Para ver se um dia este sentimento desaparece e pára de me perseguir.
Tento dar a todos que me rodeiam tudo que posso, inclusive o meu amor, porque o fim dos meus dias pode ser um amanhã muito próximo e não quero magoar aqueles que amo.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Vida (Parte 1)


Durante muitos anos passei por momentos de solidão.

A minha certeza me faltava, a minha segurança me deixou e a minha coragem falhava sempre que puxava por ela.
Mesmo acompanhado, não me sentia forte ou amado, mas também não amei. Não me dei a ninguém por completo.

Procurei de alguma maneira me agarrar ao que tinha.
O que eu tinha não era nada para além do meu corpo. Pois a minha alma se encontrava perdida num universo onde a minha entrada não era permitida.

Já me faltavam as máscaras e cada vez viam mais a minha confusão, a minha tristeza e o meu desalento.
Talvez até tenha lutado. Talvez fui desistindo aos poucos e me encontrei em situações de dúvida.

Confiança e expressão se apagaram aos poucos e me deram vontade de gritar, mas a minha voz já não era ouvida, portanto nem tentei.
Me entreguei a vícios e esquemas psicológicos que só me faziam pior.
Tinha forças mas não tinha força de vontade, convicção ou motivação para mudar.

Deixei que guiassem. Não sabia o que fazer.
Os meus sonhos fragmentaram-se e os meus desejos evaporaram.

A minha mente hibernou e ali permaneceu, eternamente...

terça-feira, 15 de maio de 2012

Saber o que ...


Amor ... O que é isso?

Quando já estamos tão fartos de andar para trás e para a frente com as mesmas ideias e damos mais uma oportunidade a um desconhecido por se pensar "desta vez vai dar certo".
Será que vale a pena continuar? É isto que me passa pela cabeça todas a vezes.
Onde estão as escolhas certas? Mas, quais são as escolhas certas? Elas existem?

Não saber o que fazer ...
Confiar? Já passei tanto tempo com uma pessoa e me apercebi que não era quem eu realmente pensava.
Olhar para trás e duvidar acerca das escolhas feitas. Relembrar todas as alternativas possíveis ... Mas para quê? Já passou. Não aconteceu de outra maneira. Não há volta a dar.

Porquê ...
E se ...
Quem ...
Como ...
Quando ...
Onde ...
Qual ...
O quê ...

O que eu realmente quero é paz e sossego, simplicidade. Quero estar com alguém que me compreenda, que viva intensamente, ao meu lado. Eu quero intimidade íntima. Vida pessoalmente pessoal. Eu quero alguém que mantenha o que é nosso entre nós.

O que fazer quando se está nesta posição?
O que dizer quando o sentimento se torna revoltante?
O que procurar para resolver tudo?
O que acontece quando o amor não é suficiente?

sábado, 14 de abril de 2012

I Smile


Disse à felicidade onde estava para que ela me pudesse encontrar. Mas tive que ir atrás dela para que os nossos caminhos se cruzassem.
Pus todas as infantilidades de lado, coloquei-me na posição de alguém que sabia o que queria e lutei contra todos os obstáculos.
Por muito tempo duvidei, pedi que me dessem forças, pensei várias vezes em desistir e muitas foram as quedas que tive pelo caminho.

(Todas as quedas que tive me marcaram de alguma forma. Senti-me desmontado, rasgado, arranhado, cansado, dorido e quase sem chances de me levantar.
Aos poucos consegui regenerar. Primeiro deitado, depois sentado para poder me levantar, reaprender a andar, e por fim, correr!
Nesse ponto, corri o mais rápido que pude. Não parei mais. Corri para continuar a minha busca e consegui encontrar.)

Finalmente, encontrei-a. Estava mesmo aqui, dentro de mim, mas eu não a via porque o meu olhar esteve sempre voltado para o exterior.
Nunca parei para pensar que podia ser feliz sem a ajuda de outra pessoa. A única coisa que tinha de fazer era conhecer-me melhor e aceitar todos os aspectos que fazem de mim o indivíduo único que sou.
Para completar, tive o privilégio de conhecer várias pessoas que me proporcionam momentos de diversão, responsabilidade, carinho, compreensão, amor e muito mais. Por tudo isso só tenho que agradecer a cada dia que passa.
Agora posso dizer que sei o que é ser feliz de verdade! =D

domingo, 8 de abril de 2012

?

Eu preciso de tempo. Um tempo para mim. Um tempo sozinho.Um tempo para parar de pensar tanto em ti e pensar mais em mim.
Ou simplesmente parar de pensar e tentar esquecer algumas coisas.


Preciso de descanso, que me deixem respirar.
Tenho de esclarecer as coisas na minha cabeça.

Ouvir o som do silêncio. E sentir a calma que o ruído me traz.
Tentar procurar algo, me afastando do que pretendo encontrar.
Acordar na esperança de dormir para sempre.

Quero fechar os olhos para não ver nada.
Mas abrir a mente para poder ver tudo.
Descobrir a pólvora, mesmo que já tenham apertado o gatilho.

Flutuo na imaginação de um ser adulto enquanto criança.
Sinto a necessidade de estar sozinho e rodeado de pessoas.
Visitar lugares conhecidos para ver coisas novas.
Vejo se mergulho no mar para ficar com as emoções secas.
Olho para o espelho de forma a conectar com alguém que não conheço...

De dia, procuro o que nunca quis encontrar.
De noite, encontro o que nunca procurei.
E, na minha vida, disfarço o que não quero que vejam, mas desejo que procurem, encontrem e ...

me abracem.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Eu e Tu


Se eu neste momento pedisse que te deitasses aqui comigo, que me desses a tua mão e esquecesses de tudo e de todos, conseguirias?

Não sei bem o que sinto. Mas é algo forte, bonito, terno. E quero partilhar contigo. Então, vamos esquecer do que nos é dito e de tudo que acontece à nossa volta. Vamos aproveitar o(s) momento(s). Antes que nos tornemos velhos demais para recordar.

Mostra-me a beleza que há em ti, apenas pelo toque, o olhar, o vaguear das nossas mentes ...
Tudo o que eu quero ser está presente no teu olhar. Um olhar tão profundo que só me traz boas memórias e que eu não quero deixar de fitar.
Tudo o que eu sinto está presente no teu toque. Um toque tão sensível que me traz aconchego, calor e me deixa anestesiado.

Não sei onde, quando, como, nem o porquê. Estou confuso ...
Apenas sei que não quero que mude, não quero que acabe e também não quero parar de olhar, de sentir, de me deixar levar!
Pois tudo o que eu mais quero neste momento és tu, aqui, comigo

domingo, 4 de março de 2012

O Mentiroso

Eu queria dizer a verdade. Eu amo a verdade, mas ela não gosta de mim.
Eis a verdadeira verdade, a verdade não gosta de mim. Logo que a digo, ela muda de figura e volta-se contra mim. Fico com a cara de mentiroso e todos me olham de esguelha. E no entanto, sou simples e detesto mentiras. Juro!
A mentira atrai incríveis confusões, metemos os pés pelas mãos, tropeçamos, caimos, e todos implicam conosco.
Se me perguntam algo, quero responder a verdade. A verdade me corrói. Mas não sei o que se passa. Assalta-me uma angústia, um receio, um medo de ser ridículo e minto. Minto. Pronto. Tarde demais para voltar atrás. Sem pensar que o ridículo acontece quando minto. E uma vez o pé na mentira, é deixar passar o resto. E não é cômodo, juro-lhes.

É tão difícil dizer a verdade. É luxo de preguiçosos.
Temos a certeza de não nos enganar depois, e de não ter aborrecimentos mais tarde. Os aborrecimentos vêm logo no mesmo instante, e depois tudo se arranja.
Enquanto que eu ... o diabo entra na dança!

A mentira não é um declive íngreme. São montanhas russas que nos arrebatam, cortando-nos o ar, detendo-nos o coração, apertando a nossa garganta.
Se amo, digo que não amo. Se não amo, digo que amo.
E depois o que acontece? É de enlouquecer os miolos!
Não adianta parar diante do espelho e repetir: não mentirás mais.
Minto. Minto. Minto. Minto nas pequenas coisas e nas grandes também!
E se alguma vez me acontece dizer a verdade, por acaso... por surpresa... ela se retorce, se encarquilha, se encolhe, faz careta... e transforma-se em mentira! Os menores detalhes se combinam contra mim, provando que menti.

Não é que seja covarde... em casa penso sempre no que devo responder e imagino as melhores soluções. Mas na hora, fico paralisado, em silêncio e acabo por mentir. Chamam-me de mentiroso e engulo. Poderia responder: Mentira! Mas não encontro forças para isso. Deixo que me insultem, rebentando de raiva. E é essa raiva acumulada em mim, que me dá tristeza.
Não sou mau. Até sou bom. Mas basta que me tratem de mentiroso para sufocar.
Eles têm razão! Sei que têm razão e mereço os insultos. Mas e daí?
Não queria mentir e não posso suportar que não compreendam que minto à minha revelia, impulsionado pelo diabo.

Oh! ... Vou mudar. Já mudei. Não mentirei mais. Hei de achar uma maneira de deixar de mentir, para deixar de viver na tremenda desordem da mentira.Tenho que me curar. Hei de sair disso! Dou-lhes uma prova. Aqui em público, acuso-me de meus crimes e exibo meu vício. E não vão pensar que gosto de exibir o meu vício e a minha fraqueza. Seria o cúmulo do vício. Não, não. Tenho vergonha! Detesto minhas mentiras! Aquelas que me fazem ir até os confins do mundo para não ser obrigado a fazer alguma confissão.

Mas, e os senhores, dizem a verdade? ... os senhores devem mentir! Todos devem mentir sem parar, e gostar de mentir, e achar que não mentem... Devem todos mentir a si próprios e mentir sem parar.

Jean Cocteau
(Alterações: Rodrigo Ribeiro)

sexta-feira, 2 de março de 2012

Telegrama do Narrador

Quantas vezes já ouvimos a expressão "É complicado!" ?
Porque razão é raro ouvir "É fácil." ou "A minha vida é perfeita!" ?

A verdade é que o ser humano é o animal mais complexo à face da Terra e, por mais que se diga que cada um tem a sua mentalidade, o seu pensamento, as suas ideias, todos temos momentos em que somos cobertos por ondas de insegurança, descrença e pessimismo. Tanto em situações do presente, como em previsões para o futuro.

A ideia de não ser pessimista não é olhar a vida sempre com a certeza de que tudo vai correr bem mas sim com a esperança de que conseguiremos atingir os nossos objectivos e tomar as melhores decisões nos momentos certos. É só acreditar em nós próprios e nas forças da Natureza. E, mesmo que esta não esteja a torcer pelo nosso sucesso (ou pelo menos, por vezes, é isso que parece), não se deve desistir em qualquer situação.

Desistir não é a melhor solução em nenhum momento. É, antes pelo contrário, o caminho mais íngreme pois obriga-nos a ter de fazer tudo de novo, mas noutra altura. Nesse caso, podem não ser as mesmas circunstâncias, nem as melhores para realizar o que desejamos.

Tudo acontece por alguma razão! Podemos não saber qual é nem o porquê de ter surgido mas de certeza que o melhor a fazer é aceitar e esperar que a maré mude. É óbvio que, de braços cruzados, a reclamar da vida, questionar "o poder divino" e pensar que não há solução possível é para quem tem uma mente obtusa que não acredita em nada, nem mesmo em si próprio.

Com muito orgulho posso dizer que a minha educação me ajudou muito em vários aspectos da vida e, infelizmente, há quem não tenha o privilégio que eu acredito que tive, mas que consegue, com os meios do século XXI, encontrar várias formas de conhecimento que podem ajudar em praticamente todos os aspectos da vida pessoal e social, se não forem mesmo todos.

Não há maneira de saber se amanhã vou encontrar a pessoa que me fará mais feliz nesta vida e ter aquilo que sempre quis ou se o mundo como o conheço acabará para mim. Mas sei que a cada dia que passa vou sonhar e lutar para conquistar todos os meus sonhos, incorrendo em erros que me farão aprender e passando por todas as pedras que encontrarei no meu caminho. Assim que alcançar algo, irei traçar novos objectivos para mim mesmo, procurando em cada instante, a felicidade que cada imagem me tráz e a lembrança de todas as memórias que não foram esquecidas, ou porque me fizeram crescer e evoluir enquanto ser humano, ou pela saudade de um tempo bom.

E assim vou vivendo, um dia após o outro, um passo de cada vez, procurando o conforto de uma certa segurança interior e, ao mesmo tempo, o calor de certas entidades que me acompanham nesta jornada pelo mundo.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

E se tivesse feito algo diferente? Se tivesse seguido outro caminho ou agido de outra forma, como seria a minha vida hoje? 

Todos já parámos para nos questionar se nos arrependemos de algo que fizemos ou devíamos ter feito ao longo do nosso percurso, dos obstáculos que precisámos de ultrapassar. Mas a vida é uma prenda que devemos aceitar de coração, independentemente do que vem com ela. E por mais difícil que seja, aceitar, há sempre aqueles momentos em que vemos que tudo se encaixa, como se fosse predestinado, como se fosse a coisa certa, na hora certa.  É aí que vemos que cada um de nós constrói o seu próprio destino e que no final do dia, o que importa é se estamos satisfeitos com o nosso presente e por mais atribulado que tenha sido o passado, o que devemos fazer é tirar desses acontecimentos uma lição para podermos escrever as palavras de um bom futuro! =D